Normas e Diretrizes

Regimento Geral da Pós Graduação

Regulamento de Programa (Atual)

Normas para exame geral de Qualificação

NORMAS PARA EXAME GERAL DE QUALIFICAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGROPECUÁRIA, CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO

Art. 1º As presentes normas dispõe sobre as regras do Exame Geral de Qualificação para os alunos do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agropecuária, da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade Estadual Paulista, Câmpus de Jaboticabal, candidatos ao título de Mestre ou Doutor, conforme determinam o Parágrafo Único do Artigo 38 do Regimento Geral da Pós-Graduação da UNESP e o Parágrafo 4º do Artigo 42 do Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia.

DO EXAME DO CURSO DE MESTRADO

Art. 2º No ato da solicitação do Exame Geral de Qualificação, o aluno deverá juntar um trabalho científico extraído de sua dissertação de mestrado, redigido sob a forma de publicação, de acordo com as normas de redação exigida por periódico científico classificado com nível A ou B no Qualis/CAPES, e de livre escolha do aluno em conjunto com o orientador.
Art. 3º No ato da solicitação deverão ser encaminhadas 4 cópias do trabalho acompanhadas por respectivas cópias das normas de redação pelo periódico escolhido.

DO EXAME DO CURSO DE DOUTORADO

Art. 4º No ato da solicitação do Exame Geral de Qualificação o aluno deverá:
§ 1º juntar um trabalho científico extraído de sua tese de doutorado, redigido sob a forma de publicação, de acordo com as normas de redação exigidas por periódico científico classificado em nível A no Qualis/CAPES, e de livre escolha do aluno em conjunto com o orientador.
§ 2º juntar comprovante de publicação ou de aceite, por periódico científico classificado com nível A ou B no Qualis/CAPES, de um trabalho científico extraído de sua dissertação de mestrado. É responsabilidade do orientador a veracidade da informação de que o trabalho científico foi extraído da dissertação de mestrado do aluno.
Art. 5º No ato da solicitação deverão ser encaminhadas 6 cópias do trabalho extraído da tese de doutorado, acompanhadas por respectivas cópias das normas de redação exigidas pelo periódico escolhido e 1 cópia do trabalho publicado, extraído da dissertação de mestrado, ou carta de aceite do trabalho pelo periódico.
Art. 6º O aluno que tiver ingressado diretamente no curso de doutorado ou que tenha sido transferido do Curso de mestrado para o curso de doutorado, no ato da solicitação do Exame Geral de Qualificação, deverá:
§ 1º juntar um trabalho científico extraído de sua tese de doutorado, redigido sob a forma de publicação, de acordo com as normas de redação exigidas por periódico científico classificado com nível A no Qualis/CAPES, e de livre escolha do aluno em conjunto com o orientador.
§ 2º juntar comprovante de submissão, em periódico científico classificado com o nível A no Qualis/CAPES, de um segundo trabalho científico extraído de sua tese de doutorado. É responsabilidade do orientador a veracidade da informação de que o trabalho científico submetido ao periódico foi extraído da tese de doutorado do aluno.
Art. 7º No ato da solicitação deverão ser encaminhadas 5 cópias do trabalho científico extraído da tese de doutorado, acompanhadas por respectivas cópias das normas de redação exigidas pelo periódico escolhido, e o comprovante de submissão do segundo trabalho, extraído da tese de doutorado, emitido pelo periódico.

DA SOLICITAÇÃO, DO EXAME E DA AVALIAÇÃO

Art. 8º A solicitação do Exame Geral de Qualificação deverá ser feita pelo orientador, de acordo com o Artigo 42, Parágrafo 1º do Regulamento do Programa. Esta solicitação deverá ser protocolada na Seção de Comunicações da FCAV, até 30 dias antes do prazo previsto para a realização do exame.

Art. 9º O Exame Geral de Qualificação deverá ser realizado até 24 e 42 meses após o início do aluno no Curso de Mestrado ou no Curso de Doutorado, respectivamente.
Art. 10º Os trabalhos científicos de que tratam o Artigo 2º e os Parágrafos 1ºs dos Artigos 4º e 6º, serão examinados em sessão pública previamente marcada, por comissão examinadora designada pelo Conselho do Programa. No início do exame o aluno fará uma exposição do trabalho, para a qual terá o tempo máximo de 30 minutos. Em seguida, cada membro da comissão examinadora terá o prazo de 40 minutos para argüir o aluno na forma de diálogo.
Art.11º Será qualificado o aluno que for aprovado pela maioria dos membros da comissão examinadora.
Art. 12º Concluído o exame do trabalho, o aluno deverá proceder as correções sugeridas pela comissão examinadora e submetê-lo ao periódico escolhido de acordo com o Artigo 2 ou Parágrafos 1ºs dos Artigos 4º ou 6º destas normas. O resultado do Exame Geral de Qualificação somente será homologado pelo Conselho do Programa após o aluno protocolar na Seção de Comunicações da FCAV, carta ou mensagem eletrônica impressa, emitida pelo periódico científico, acusando o recebimento do trabalho.
Art. 13º O aluno reprovado terá direito à realização de apenas mais um Exame Geral de Qualificação, sem exceder o tempo máximo estipulado no Artigo 9º do Regulamento do Programa.
Art. 14º O aluno do Curso de Mestrado que publicar, em periódico científico classificado com nível A ou B no Qualis/CAPES, um trabalho científico extraído de sua dissertação, poderá ser dispensado de cumprir o disposto nos Artigos 2º, 3º, 10º e 12º, a critério do Conselho do Programa. Para tanto, deverá protocolar, no prazo previsto para a realização do exame, pedido correspondente, acompanhado de cópia do trabalho ou carta de aceite do periódico. No referido trabalho deverá constar a informação ?Aluno do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agropecuária da FCAV/UNESP?, ou estar identificada a FCAV/UNESP como instituição que gerou o trabalho. É responsabilidade do orientador a veracidade da informação de que o trabalho científico publicado foi extraído da dissertação de mestrado do aluno.
Art. 15º O aluno do Curso de Doutorado que publicar, em periódico(s) científico(s) classificado(s) com nível A no Qualis/CAPES, dois trabalhos científicos extraídos de sua tese de doutorado, poderá ser dispensado de cumprir o disposto nos Artigos 4º (parágrafos 1º e 2º) e 5º ou 6º (parágrafos 1º e 2º) e 7º, e Artigos 10º e 12º, a critério do Conselho do Programa. Para tanto, deverá protocolar, no prazo previsto para a realização do exame, pedido correspondente, acompanhado de cópias dos trabalhos ou cartas de aceite do(s) periódico(s). Nos referidos trabalhos deverão constar a informação ?Aluno do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agropecuária da FCAV/UNESP?, ou estar identificada a FCAV/UNESP como instituição que gerou o trabalho. É responsabilidade do orientador a veracidade da informação de que os trabalhos científicos publicados foram extraídos da tese de doutorado do aluno.
Art. 16º O aluno dispensado do cumprimento de disposições anteriores, nos termos dos Artigos 14 e 15 será aprovado pelo Conselho do Programa.
Art. 17º Os casos omissos nestas normas serão resolvidos pelo Conselho do Programa.

DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS

Art. 18º As presentes normas entram em vigor, a partir de 05 de outubro de 2010, revogando-se as normas anteriores.

(Aprovado nas reuniões ordinárias da Congregação de 05/10/2010).

Diretrizes para Padronização das Interpretações

DIRETRIZES PARA PADRONIZAÇÃO DAS INTERPRETAÇÕES DO § 1º DO ARTIGO 4º DO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FCAVJ/UNESP, SOBRE ATIVIDADES COMPLEMENTARES.

Em reunião de 20-04-2007 da Comissão Permanente de Ensino da FCAV-Unesp foi aprovada a presente orientação para aplicação do § 1º do Artigo 4º do Regulamento dos Programas de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, que trata da obtenção de créditos por meio de atividades complementares.

TRABALHOS NA ÍNTEGRA

  1. Somente será atribuído crédito a artigo científico, publicado na íntegra em periódico nacional ou internacional, classificada no QUALIS-CAPES, em A ou B.
  2. Será considerada a classificação obtida pelo periódico no QUALIS-CAPES em tempo comum à expedição pela Comissão Editorial, do aceite de publicação do artigo científico proposto para aproveitamento de crédito em atividade complementar.
  3. O artigo científico proposto para aproveitamento de crédito em atividade complementar deverá ter o pós-graduando solicitante do processo como primeiro autor  e docente do Programa como co-autor.
  4. O artigo deverá, preferencialmente, constar que o autor é aluno do curso de pós-graduação (nome do Programa).
  5. Pelo menos uma das etapas do trabalho em questão deve ter sido desenvolvido durante o curso de pós-graduação, ao qual o pós-graduando está atualmente vinculado.
  6. A solicitação de crédito deve ser acompanhada de parecer e justificativa do orientador (elaborados de forma devidamente elucidativa), cópia do trabalho, devendo ser esclarecidas as etapas que foram desenvolvidas durante o curso.
  7. Poderá ser atribuído até três créditos por trabalho (máximo de dois trabalhos), a critério do Conselho do Programa de Pós-Graduação, durante a vigência do curso de mestrado e ou/doutorado. 

TRABALHOS EM CONGRESSOS E REUNIÕES CIENTÍFICAS

  1. Somente será atribuído crédito a resumo de trabalho apresentado em congresso e  reunião científica, e publicado no respectivo Anais do evento.
    §. Quando da apresentação de mais de um resumo no mesmo congresso ou reunião científica, será atribuído apenas 1 (um) crédito. 
    O máximo de resumos/congressos considerados para fins de crédito em atividades complementares será de três, durante a vigência  do curso de mestrado e/ ou doutorado. 
  2. O artigo científico proposto para aproveitamento de crédito em atividade complementar deverá ter o pós-graduando solicitante do processo como primeiro autor  e docente do Programa como co-autor. 
  3. O artigo deverá, preferencialmente, constar que o autor é aluno do curso de pós-graduação (nome do Programa). 
  4. Pelo menos uma das etapas do trabalho em questão deve ter sido desenvolvida durante o curso de pós-graduação, ao qual o pós-graduando está atualmente vinculado. 
  5. A solicitação de crédito deve ser acompanhada de parecer e justificativa do orientador (elaborados de forma devidamente elucidativa),  comprovantes de apresentação e de publicação do trabalho,  devendo ser esclarecidas  as etapas que foram desenvolvidas durante o presente curso. 
  6. Poderá ser atribuído um crédito por resumo.

LIVROS E CAPÍTULOS DE LIVROS

  1. Somente será atribuído crédito a livro ou capítulo de livro publicado, devendo o pós-graduando ser o primeiro autor. E conter docente do programa em co-autoria.
  2. O livro deve ser registrado no ISBN e possuir número de páginas superior a 45.
  3. Pelo menos uma das etapas do trabalho em questão deve ter sido desenvolvido durante o curso de pós-graduação, ao qual o pós-graduando está atualmente vinculado.
  4. O artigo deverá, preferencialmente, constar que o autor é aluno do curso de pós-graduação (nome do Programa).
  5. Poderá ser atribuído até três créditos, a critério do Conselho do Programa de Pós-Graduação
    § 1º - Para contagem de créditos será aceito apenas um capítulo por livro publicado, considerando-se no máximo dois livros.

Normas para elaboração de Dissertações e Teses dos Programas de Pós-Graduação da FCAV-UNESP

Normas para a Defesa de Dissertações ou Teses

  1. A defesa da dissertação de mestrado ou tese de doutorado somente pode ser efetuada após homologação, pelo Conselho do Programa, do resultado do Exame Geral de Qualificação e aprovação pelo Conselho e pela Congregação da FCAV, das respectivas comissões examinadoras.
  2. A solicitação para a defesa da dissertação ou tese deverá ser feita pelo orientador, acompanhada, respectivamente, de 6 e 9 exemplares da mesma, seguida da indicação de 10 nomes de especialistas na área do trabalho, 5 dos quais não pertencentes a UNESP, e de declaração do orientador de que o trabalho está em condições de ser julgado.  
  3. O conteúdo do trabalho de Dissertação ou Tese deverá ser o mesmo do projeto de pesquisa previamente aprovado pelo Conselho do Programa.
  4. A Dissertação ou Tese deverá ser redigida de acordo com as "Normas para elaboração de dissertações e teses  dos programas de pós-graduação da FCAV/UNESP", aprovadas pela Congregação da FCAV.
  5. A Dissertação ou Tese será examinada em sessão pública por uma comissão examinadora composta, respectivamente, de 3 e 5 membros. O orientador é membro nato e presidente da comissão. Os membros deverão possuir, no mínimo, o título de doutor, salvo o especificado no parágrafo 20 do artigo 12 do Regimento Geral da Pós-Graduação da UNESP. No mínimo 1 e 2 membros das comissões de defesa de dissertação e tese, respectivamente, não deverão pertencer à UNESP.
  6. Antes da defesa o candidato fará uma exposição pública do trabalho, no tempo máximo de 50 minutos, podendo utilizar os recursos audiovisuais que julgar conveniente. A argüição do candidato por cada membro da comissão examinadora terá duração máxima de 30 minutos, dispondo de tempo igual para respostas. Havendo concordância entre as partes, a argüição poderá ser conduzida na forma de diálogo, no tempo máximo de 60 minutos.
  7. No julgamento da Dissertação ou tese serão atribuídos os conceitos "aprovado ou reprovado", prevalecendo, no mínimo, a avaliação de 2 ou 3 examinadores, respectivamente para o julgamento de dissertação ou tese.
  8. No prazo máximo de 30 dias após a defesa da dissertação ou tese, o candidato, de comum acordo com o orientador, fará as correções necessárias, providenciará a impressão dos exemplares definitivos e entregará, na Seção de Pós-Graduação da FCAV, 08 e 11 exemplares da dissertação ou tese, respectivamente, acompanhados de ofício de encaminhamento do orientador. 
  9. A liberação de qualquer documentação relativa à defesa da Dissertação ou Tese pela Seção de Pós-Graduação, fica condicionada a entrega do número pré fixado de exemplares definitivos.
  10. Após o cumprimento de todos as exigências regulamentares previstas para o mestrado ou doutorado, será conferido ao candidato o título de Mestre ou Doutor.

Normas para Tranferência de Alunos do Curso de Mestrado para o de Doutorado e para o Ingresso direto de Alunos no Curso de Doutorado

O Conselho do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia da FCAV, poderá, a seu critério e quando julgar pertinente, disponibilizar vagas para "Transferência de Alunos" do Curso de Mestrado para o Curso de Doutorado dentro do programa, e para "Ingresso Direto" de alunos no Curso de Doutorado, estabelecendo datas em que serão admitidos, para julgamento, os pedidos de alunos regularmente matriculados no Curso de Mestrado do programa (transferência de alunos) ou de alunos externos ao programa (ingresso direto).

  1. Condições necessárias para solicitar a transferência do Curso de Mestrado para o de Doutorado:

  1. Ofício do orientador do aluno, dirigido ao Conselho do Programa, solicitando a transferência e contendo justificativa circunstanciada para a solicitação. 

  2. A mudança de nível só será permitida para candidato que não tenha completado 18 meses de ingresso no curso de mestrado.

  3. O pós-graduando deverá comprovar já ter sido bolsista de iniciação científica de uma agência governamental de fomento à pesquisa (CNPq, FAPESP ou outra Instituição Oficial de Amparo à Pesquisa), ou deverá ter publicado, nos três últimos anos, no mínimo 1 artigo completo, como primeiro autor, em periódico científico classificado com nível A no Qualis/CAPES.

  4. O pós-graduando deverá submeter, em 3 vias, projeto de tese abrangente e compatível com o nível de doutorado.

  5. O orientador do aluno deverá satisfazer o perfil definido para os orientadores do PPGM no Plano de Ação Trienal 2002-2004, e já ter concluído uma orientação de doutorado. O Currículo Lattes/CNPq atualizado do orientador deverá acompanhar a proposta.

O Conselho do Programa, após análise prévia da solicitação, poderá, se julgar pertinente, encaminhá-la a 2 assessores "ad hoc", externos ao programa, para emitir parecer de mérito. Os alunos poderão ser convocados para entrevista com os membros do Conselho para dirimir dívidas. O Conselho emitirá a decisão final. Caberá aos interessados (orientador e pós-graduando) submeter às agências financiadoras o pedido de bolsa de doutorado.

  1. Condições necessárias para solicitar o ingresso direto no curso de Doutorado:

  1. Não ser portador do título de mestre.

  2. Pedido de inscrição do candidato, dirigido ao Conselho do Programa, justificando a solicitação, acompanhado da documentação exigida pela FCAV para inscrição de candidatos nos cursos de pós-graduação. 

  3. Curriculum Vitae do candidato, em três vias, elaborado nos moldes do currículo exigido para a seleção de candidatos ao ingresso no programa.

  4. Ofício de um orientador credenciado no PPGM, dirigido ao Conselho do Programa, responsabilizando-se pela orientação e contendo justificativa circunstanciada para a anuência na orientação e ingresso direto do candidato no curso de doutorado.

  5. O candidato deverá comprovar já ter sido bolsista de iniciação científica de uma agência governamental de fomento à pesquisa (CNPq, FAPESP ou outra Instituição Oficial de Amparo à Pesquisa), ou deverá ter publicado, nos três últimos anos, no mínimo 1 artigo completo, como primeiro autor, em periódico científico classificado com nível A no Qualis/CAPES.

  6. O candidato deverá submeter, em 3 vias, projeto de tese abrangente e compatível com o nível de doutorado. A capacidade do candidato em conduzir o trabalho de pesquisa deverá estar caracterizada de forma clara no projeto.

  7. O orientador do candidato deverá satisfazer o perfil definido para os orientadores do PPGM no Plano de Ação Trienal 2002-2004, e já ter concluído uma orientação de doutorado. O Currículo Lattes/CNPq atualizado do orientador deverá acompanhar a proposta.

O Conselho do Programa, após análise prévia da solicitação, poderá, se julgar pertinente, encaminhá-la a 2 assessores "ad hoc", externos ao programa, para emitir parecer de mérito. Os candidatos poderão ser convocados para entrevista com os membros do Conselho, para dirimir dívidas. O Conselho emitirá a decisão final. Caberá aos interessados (orientador e candidato) submeter às agências financiadoras o pedido de bolsa de doutorado.

Aprovada pelo Conselho do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia em 21/10/02 e modificado pelo Conselho em 12/11/03.

Resumo do Regulamento do Programa

Resumo do Regulamento do Programa

1) NÚMERO DE CRÉDITOS - MESTRADO

Disciplinas

Mínimo de 27 créditos

32

Atividades Complementares

Máximo de 5 créditos

Dissertação

64 créditos

2)NÚMERO DE CRÉDITOS - DOUTORADO

Disciplinas

Mínimo de 47 créditos

56

Atividades Complementares

Máximo de 9 créditos

Tese

136 créditos

OBS: CADA CRÉDITO CORRESPONDE A 15 HORAS AULAS

3)PRAZOS PARA INTEGRALIZAÇÃO DE CRÉDITOS/DISCIPLINAS

Mestrado

24 meses

Doutorado

30 meses

4)PRAZOS PARA CONSLUSÃO DO CURSO

Mestrado

Mínimo - 12 meses
Máximo - 27 meses

Doutorado

Mínimo - 24 meses

Máximo - 45 meses

OBS:  CONCLUSÃO = Integralização dos créditos e PROTOCOLO da Dissertação ou Tese que será submetida à defesa.

5)PRAZOS PARA DEFESA APÓS APROVAÇÃO PELO CONSELHO DO PRGRAMA

Mínimo = 15 dias          Máximo = 60 dias

6)PRAZOS PARA ENTREGA APÓS A DEFESA

Máximo = 30 dias

7)APROVEITAMENTO DE CRÉDITOS - MESMO NÍVEL

Mestrado 50% = 16 créditos fora do Programa

8)APROVEITAMENTO DE CRÉDITOS DO MESTRADO PARA DOUTORADO

Até 32 créditos (o aluno do doutorado, além de aproveitar 32 créditos do mestrado, poderá fazer ainda mais 12 créditos fora do Programa)

Exp: 56-32 = 24        24¸2 = 12 (aprova fora do Programa)

9)ALUNO ESPECIAL

Permitido cursar uma disciplina por semestre

Permitido no máximo dois semestres consecutivos

10)PRAZOS PARA DESISTÊNCIA (CANCELAMENTO) DE DISCIPLINAS)

O cancelamento de matrícula em disciplina deverá ser feito antes de ter sido transcorrido um terço do desenvolvimento da mesma.

No caso de desistência em disciplina sem o devido cancelamento da mesma, o aluno será considerado reprovado, com inclusão no histórico escolar.

11)PRAZOS PARA ENTREGA DO PROJETO DE PESQUISA

Máximo = até a matrícula do semestre subsequente ao ingresso no Curso (6 meses)

12)PRAZOS PARA APROVAÇÃO NOS EXAMES DE LÍNGUAS

Máximo = 12 meses após a primeira matrícula (igual regulamento antigo)

13)SUSPENSÃO DE MATRÍCULA

APÓS CURSAR O 1º SEMESTRE

1ª Solicitação - até 180 dias (requerer de forma documentada, com justificativa circunstânciada do orientador)

2ª Solicitação - máximo mais 90 dias (idem acima)

DISCIPLINAS/ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Aproveitamento de Créditos

Exame Geral de Qualificação

Normas para exame geral de Qualificação

NORMAS PARA EXAME GERAL DE QUALIFICAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGROPECUÁRIA, CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO

Art. 1º As presentes normas dispõe sobre as regras do Exame Geral de Qualificação para os alunos do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agropecuária, da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade Estadual Paulista, Câmpus de Jaboticabal, candidatos ao título de Mestre ou Doutor, conforme determinam o Parágrafo Único do Artigo 38 do Regimento Geral da Pós-Graduação da UNESP e o Parágrafo 4º do Artigo 42 do Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia.

DO EXAME DO CURSO DE MESTRADO

Art. 2º No ato da solicitação do Exame Geral de Qualificação, o aluno deverá juntar um trabalho científico extraído de sua dissertação de mestrado, redigido sob a forma de publicação, de acordo com as normas de redação exigida por periódico científico classificado com nível A ou B no Qualis/CAPES, e de livre escolha do aluno em conjunto com o orientador.
Art. 3º No ato da solicitação deverão ser encaminhadas 4 cópias do trabalho acompanhadas por respectivas cópias das normas de redação pelo periódico escolhido.

DO EXAME DO CURSO DE DOUTORADO

Art. 4º No ato da solicitação do Exame Geral de Qualificação o aluno deverá:
§ 1º juntar um trabalho científico extraído de sua tese de doutorado, redigido sob a forma de publicação, de acordo com as normas de redação exigidas por periódico científico classificado em nível A no Qualis/CAPES, e de livre escolha do aluno em conjunto com o orientador.
§ 2º juntar comprovante de publicação ou de aceite, por periódico científico classificado com nível A ou B no Qualis/CAPES, de um trabalho científico extraído de sua dissertação de mestrado. É responsabilidade do orientador a veracidade da informação de que o trabalho científico foi extraído da dissertação de mestrado do aluno.
Art. 5º No ato da solicitação deverão ser encaminhadas 6 cópias do trabalho extraído da tese de doutorado, acompanhadas por respectivas cópias das normas de redação exigidas pelo periódico escolhido e 1 cópia do trabalho publicado, extraído da dissertação de mestrado, ou carta de aceite do trabalho pelo periódico.
Art. 6º O aluno que tiver ingressado diretamente no curso de doutorado ou que tenha sido transferido do Curso de mestrado para o curso de doutorado, no ato da solicitação do Exame Geral de Qualificação, deverá:
§ 1º juntar um trabalho científico extraído de sua tese de doutorado, redigido sob a forma de publicação, de acordo com as normas de redação exigidas por periódico científico classificado com nível A no Qualis/CAPES, e de livre escolha do aluno em conjunto com o orientador.
§ 2º juntar comprovante de submissão, em periódico científico classificado com o nível A no Qualis/CAPES, de um segundo trabalho científico extraído de sua tese de doutorado. É responsabilidade do orientador a veracidade da informação de que o trabalho científico submetido ao periódico foi extraído da tese de doutorado do aluno.
Art. 7º No ato da solicitação deverão ser encaminhadas 5 cópias do trabalho científico extraído da tese de doutorado, acompanhadas por respectivas cópias das normas de redação exigidas pelo periódico escolhido, e o comprovante de submissão do segundo trabalho, extraído da tese de doutorado, emitido pelo periódico.

DA SOLICITAÇÃO, DO EXAME E DA AVALIAÇÃO

Art. 8º A solicitação do Exame Geral de Qualificação deverá ser feita pelo orientador, de acordo com o Artigo 42, Parágrafo 1º do Regulamento do Programa. Esta solicitação deverá ser protocolada na Seção de Comunicações da FCAV, até 30 dias antes do prazo previsto para a realização do exame.

Art. 9º O Exame Geral de Qualificação deverá ser realizado até 24 e 42 meses após o início do aluno no Curso de Mestrado ou no Curso de Doutorado, respectivamente.
Art. 10º Os trabalhos científicos de que tratam o Artigo 2º e os Parágrafos 1ºs dos Artigos 4º e 6º, serão examinados em sessão pública previamente marcada, por comissão examinadora designada pelo Conselho do Programa. No início do exame o aluno fará uma exposição do trabalho, para a qual terá o tempo máximo de 30 minutos. Em seguida, cada membro da comissão examinadora terá o prazo de 40 minutos para argüir o aluno na forma de diálogo.
Art.11º Será qualificado o aluno que for aprovado pela maioria dos membros da comissão examinadora.
Art. 12º Concluído o exame do trabalho, o aluno deverá proceder as correções sugeridas pela comissão examinadora e submetê-lo ao periódico escolhido de acordo com o Artigo 2 ou Parágrafos 1ºs dos Artigos 4º ou 6º destas normas. O resultado do Exame Geral de Qualificação somente será homologado pelo Conselho do Programa após o aluno protocolar na Seção de Comunicações da FCAV, carta ou mensagem eletrônica impressa, emitida pelo periódico científico, acusando o recebimento do trabalho.
Art. 13º O aluno reprovado terá direito à realização de apenas mais um Exame Geral de Qualificação, sem exceder o tempo máximo estipulado no Artigo 9º do Regulamento do Programa.
Art. 14º O aluno do Curso de Mestrado que publicar, em periódico científico classificado com nível A ou B no Qualis/CAPES, um trabalho científico extraído de sua dissertação, poderá ser dispensado de cumprir o disposto nos Artigos 2º, 3º, 10º e 12º, a critério do Conselho do Programa. Para tanto, deverá protocolar, no prazo previsto para a realização do exame, pedido correspondente, acompanhado de cópia do trabalho ou carta de aceite do periódico. No referido trabalho deverá constar a informação ?Aluno do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agropecuária da FCAV/UNESP?, ou estar identificada a FCAV/UNESP como instituição que gerou o trabalho. É responsabilidade do orientador a veracidade da informação de que o trabalho científico publicado foi extraído da dissertação de mestrado do aluno.
Art. 15º O aluno do Curso de Doutorado que publicar, em periódico(s) científico(s) classificado(s) com nível A no Qualis/CAPES, dois trabalhos científicos extraídos de sua tese de doutorado, poderá ser dispensado de cumprir o disposto nos Artigos 4º (parágrafos 1º e 2º) e 5º ou 6º (parágrafos 1º e 2º) e 7º, e Artigos 10º e 12º, a critério do Conselho do Programa. Para tanto, deverá protocolar, no prazo previsto para a realização do exame, pedido correspondente, acompanhado de cópias dos trabalhos ou cartas de aceite do(s) periódico(s). Nos referidos trabalhos deverão constar a informação ?Aluno do Programa de Pós-Graduação em Microbiologia Agropecuária da FCAV/UNESP?, ou estar identificada a FCAV/UNESP como instituição que gerou o trabalho. É responsabilidade do orientador a veracidade da informação de que os trabalhos científicos publicados foram extraídos da tese de doutorado do aluno.
Art. 16º O aluno dispensado do cumprimento de disposições anteriores, nos termos dos Artigos 14 e 15 será aprovado pelo Conselho do Programa.
Art. 17º Os casos omissos nestas normas serão resolvidos pelo Conselho do Programa.

DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS

Art. 18º As presentes normas entram em vigor, a partir de 05 de outubro de 2010, revogando-se as normas anteriores.

(Aprovado nas reuniões ordinárias da Congregação de 05/10/2010).

Ler 927 vezes